Proteger com senha arquivos do LibreOffice

Estava precisando deste recurso, então comecei a procurar alguma opção bem específica pelos menus, até em propriedades do arquivo… enfim, no mais óbvio não pensei e acabei achando a dica em um blog.

Basta acionar o Salvar Como (Save As) que lá, na parte debaixo da popup aparece a opção para incluir senha no arquivo.

Um ponto a destacar é que o arquivo fica realmente criptografado, tanto que resolvi abrir e fuçar o XML interno, onde ficam os dados do documento, e ele estava realmente criptografado. Isto é bom, mas também significa que se você perder sua senha já era!

Segue o link do blog citado:
http://aveesplace.wordpress.com/2011/04/14/protecting-libreoffice-or-openoffice-org-documents

Convivência entre OpenJDK e OracleJVM no Kubuntu

Antigamente era comum a utilização do Java para Applets e afins, porém agora me deparo com isto tão raramente que só fui descobrir hoje, que o Firefox bloqueou versões antigas do Java e meu Firefox estava sem plugin Java.

Tinha instalado apenas o OpenJDK, que vem por padrão no Kubuntu e este pelo jeito não tinha instalado o plugin do navegador. Como a VM desta implementação me dá problemas com alguns aplicativos, resolvi colocar logo a implementação da Oracle. Continue lendo

Sociedades perfeitas?

Esta postagem no site da BBC já é antiga, mas ainda não pude esquecê-la, então resolvi deixar aqui registrado.

Trata-se do relato fotográfico de pessoas dormindo pelas ruas de Tóquio, o que inicialmente pode não chamar tanto a atenção de um brasileiro como eu, que infelizmente, para ver isto, basta sair de casa. Porém neste caso, a situação é outra. Há até excesso de trabalho, como hipótese para o problema. Veja por si mesmo no link a seguir:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/videos_e_fotos/2012/09/120917_galeria_pessoas_toquio_jp.shtml

Este é um relato que serve para nos lembrar que não há tal coisa como uma sociedade perfeita, pelo menos em nosso planeta. Digo isto, porque muitas vezes reparamos outras pessoas, ou a nós mesmos, vangloriando outros países, outras culturas, em demérito daquela que nos acolhe em silêncio.

Creio eu que estrangeirismo é infantilidade, e enquanto um Estado Mundial é apenas utopia, talvez o patriotismo seja mesmo a melhor solução.

Quem sabe um dia voltemos a saber o Hino Nacional.