Usando grunt-connect-proxy com HTTPS

Olá, está tendo problemas com o grunt-connect-proxy para destino HTTPS?

No seu Gruntfile, na configuração do proxy, tente adicionar a opção protocol como está no exemplo a seguir. Atente-se aos dois-pontos que seguem o https, eles fazem a diferença.

{
  context: '/api',
  host: 'mybackend.com',
  port: 443,
  https: true,
  rewrite: {
    '^/api': '/backend/api'
  },
  protocol: 'https:'
}

Este macete funciona pelo menos no grunt-connect-proxy versão 0.2.0, e  no http-proxy versão 1.11.3 — responsável pela implementação do proxy.

A questão é que internamente, o http-proxy utiliza esta opção para definir em qual protocolo deve se comunicar. Isso pode ser constatado no seguinte arquivo do módulo: lib/http-proxy/passes/web-incomming.js. Segue recorte iniciado na linha 108:

var proxyReq = (options.target.protocol === 'https:' ? https : http).request(
    common.setupOutgoing(options.ssl || {}, options, req)
);

Assim, o problema não está na URL e/ou porta utilizada na chamada, mas sim no protocolo. Para debugar melhor o problema, e checar se o request está sendo feito sem criptografia, o interessado pode utilizar o Wireshark.

Até.

Content assist do Eclipse não funcionando no KDE

Depois de instalar o KDE em um ambiente Ubuntu 14.04 LTS, através do pacote kubuntu-desktop v1.308.1, tive problemas com o recurso de content assist no Eclipse, o qual é acionado por CTRL+SPACE. Acredito que o mesmo problema ocorrerá também no Netbeans, que utiliza a mesma hotkey.

No meu caso o problema foi um conflito com o IBus (Intelligent Input Bus), que é um framework para possibilitar a utilização de vários idiomas para entrada de texto, possibilitando a rápida troca de idioma através de uma hotkey, que por padrão é justamente o CTRL+SPACE.

Para resolver o problema basta desabilitar a hotkey, ou mudá-la para outra combinação, caso queira utilizar o recurso. Para isso abra o IBus pelo menu de aplicações do KDE ou, se estiver disponível, pelo ícone na “system tray”, que normalmente se apresenta como um teclado:

Ícone do IBus na System Tray

Acionando a tela de preferências, o CTRL+SPACE aparece logo de cara. Acione então o botão de configurações…

Tela de preferências do IBus

Comigo, a tela de configuração das hotkeys ficou “bugada” e não exibiu corretamente a lista de hotkeys, mas como o item já vem selecionado, bastou acionar o delete e confirmar.

Tela de configuração da tecla de atalho do IBus

Referências:
Homepage do IBus: https://code.google.com/p/ibus/

Teclado desconfigurado notebook Itautec

É comum acharmos pela Internet gente enrolada com o teclado do notebook depois de apertar sem querer o “Num Lock”, onde algumas letras são trocadas por números, o que é um funcionamento normal dos laptops, embora pelo visto, bem desconhecida.

O problema

Bom, o problema que resolvi registrar aqui ocorreu comigo umas duas vezes em um Itautec Infoway N8635, onde as teclas especiais ficam trocadas (diferente do problema acima). Me refiro a teclas como as de função (F1, F2, etc), Delete, Backspace, Control, Alt, etc. Também são afetadas as teclas de função especial (aquelas em azul que funcionam junto da tecla “Fn”), e ainda a própria tecla Fn.
Ainda não consegui detectar o que causa o problema. Notei que não está relacionada ao sistema operacional e parece ser algum recurso, ou bug, básico do aparelho, ativado por alguma sequência de teclas “secreta”.

Solução

No meu caso, bastou desligar a máquina, remover e recolocar a bateria e então usar normalmente.
Caso não funcione, tente esperar alguns instantes antes de recolocar a bateria, a fim de que quaisquer energia remanescente seja dissipada.

ASP Clássico em sistema 64bits com IIS7

Após ter de passar o produto da empresa para um novo servidor com Windows Server 2008r2 64bits, acabei experienciando alguns problemas meio aleatórios. Depois fui descobrir que o problema estaria relacionado à mistura de arquiteturas 32 e 64bits dentro das configurações que eu utilizava no IIS.

O conflito foi gerado quando, ao criar uma Pool de Aplicações para o meu software, tive de marcar a opção “Permitir Aplicações 32bits” por causa de um componente (DLL) externo que foi compilado em tal arquitetura, caso contrário o componente não funcionaria. Uma vez que por padrão o IIS utiliza a versão do ASP de acordo com o sistema (64bits), acabou acontecendo um tipo de mix de arquiteturas, além do IIS, por padrão, integrar o suporte à plataforma .Net. Continue lendo